segunda-feira, 21 de março de 2016

Akalé Wubé - (2012) Mata


Simplesmente um disco magnífico! Coisa de primeira linha para o amante e apreciador de um Ethio-Groove e do Afrobeat. Uma viagem super brisante por paisagens sonoras cheias de requinte e morosidades introspectivas. Beleza contemplativa unida à grooves potentes e swings marotos! Influências jazzísticas nos mais variados e deliciosos solos de metais. Mata é o segundo álbum dos franceses do Akalé Wubé, mais conhecidos por fazer versões moderníssimas de canções clássicas etíopes dos anos 60 e 70. A pegada aqui é firme, precisa e maravilhosamente técnica, não chega a ser virtuosística, mas mantém um ritmo ultra consistente, forte e conciso. Cada elemento parece bem calibrado para deixar tudo na medida certa, sem exageros ou experimentalismos mais arriscados. Em vários momentos, a sonoridade deste disco, lembra-me bastante as atmosferas solitárias e desérticas desenvolvidas por um Tinawiren. O tradicionalismo da música africana corre solto em múltiplas passagens, flui gostoso num intercâmbio sutil e suave com toda a habilidade do Jazz. Vai perder?!

Akalé Wubé - (2012) Mata:

01 Maryé
02 Dodo
03 Mata
04 Jour De Pluie
05 Kasalèfkut Hulu
06 Almaz Yèharèrwa
07 Asmarina
08 Bazay
09 Besetchet
10 Sabyé
11 Tinchel

Deguste um Fluxo:



Visite a página do artista: Akalé Wubé

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...